Wednesday, 18th October 2017
18 outubro 2017

O professor ganha, em média, r$ 3.335 na educação básica

Professor de educação básica pública – do jardim de infância até o ensino médio – ganhavam, em média, r$ 3.335 no País, em 2014, de acordo com a pesquisa, divulgada pelo Instituto Nacional de Estudos Educacionais (Inep). Os especialistas alertam, no entanto, que, considerando a média é pouco, que fala sobre a realidade educacional, uma vez que não leva em conta as enormes diferenças salariais anda de rede (federal, estadual e municipal) e estágio de carreira, entre outros fatores. A rede Municipal  concentra 59% dos professores da educação básica, tem a menor média de salário, r$ 3.116,35, a carga de trabalho de 40 horas semanais. Em escolas estaduais, a média é de r$ 3.476,42. Já federais de rede, que trabalham apenas 1,3% dos professores, em média, é de r$ 7.767,94.

O levantamento foi feito pelo cruzamento de dados do Censo escolar de 2014 e a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), do Ministério do Trabalho e Emprego. Não é considerado apenas o salário, mas e prêmios, gratificações, adicionais de emergência, etc. 13.º não liga.

O salário médio nacional, segundo o levantamento, foi de quase duas vezes o valor do piso nacional fixado em 2014 (r$ 1.697,39) – enquanto, pelo menos, três países, não corresponde ao valor criado como base.

“Qualquer número, a educação, especialmente no país, características tão diversas, como o Brasil, não diz. É o salário médio coloca no mesmo lugar, por exemplo, de professores, no início e com 20 anos de carreira”, – avalia o diretor do Movimento Todos pela Educação, Priscila Cruz. “Não faz sentido criar dígitos fantasia. Precisa enfrentar a realidade.”

Daniel Cara, da Campanha pelo Direito à Educação, diz que, em média, “esconde” as irregularidades. “Temos que trabalhar com a distribuição, para ver qual é a faixa salarial de mais professores. E saber quanto ganham em áreas mais remotas, que estão com dificuldade de aprendizagem.” Segundo o levantamento, o estado da rede de Mato grosso tem menos, o salário médio: r$ 1.196,44.

Apesar das advertências de especialistas, o Inep afirma que essas informações são importantes e podem contribuir para o debate sobre a carreira docente e a formulação do Custo Aluno-Inicial-Qualidade (Caqi) – um dispositivo que mostra o financiamento necessário, calculado por aluno, para a melhoria da qualidade da educação e, o que era para ser implementado em junho de 2016, de acordo previa o Plano Nacional de Educação.

O plano prevê também que até 2024 ano, todos os professores têm um rendimento médio igual a profissionais da mesma escola. Em 2015, de acordo com o IBGE, professor de educação básica recebeu mais de metade (52,5%) do salário de outros profissionais com ensino superior. Para especialistas, isso faz talentosos jovens a abandonar o ensino e a transição para carreiras mais rentáveis.

A pesquisa também mostrou que a rede privada tem um salário mais baixo, em média: r$ 2.599,33. Para Priscila, isso ocorre porque, geralmente, não tem os mesmos benefícios, o profissional da rede pública. “A rede, em particular, não é apenas nas escolas com as crianças da elite, mas a maioria dos pagamentos mensais muitos baixos, para as classes C e D.”

Perguntas – Apresentação de números foi anunciado Inep, para a manhã de ontem, mas foi cancelada. Em segundo lugar, mostrou o Estado, alguns municípios é desafiado para um banco de dados, afirmando que a informação recolhida na RAIS estavam erradas. O salário médio na rede estadual do Rio, por exemplo, está ausente o levantamento. O ministério da Educação do Rio pediu essa é a definição de um equívoco na informação de carga”.

O Inep diz, em nota, que o cruzamento foi feito com base em 2,08 млн. professores – 93,3% dos professores da educação básica, que garante a confiabilidade de dados e aumenta os subsídios para a elaboração de políticas na área de educação.

Informações do jornal o Estado de são Paulo.

Professor (aposentado) na Rede Pública de Ensino do Distrito Federal. Especialista em Informática na Educação (UnB), Coordenação Pedagógica (UnB). Tem realizado diversas palestras em instituições pública e particulares com uma variedade de temas: Avaliação das Aprendizagens, Uso das TICs na Escola, Inteligências Múltiplas e o processo de Ensino e Aprendizagem, Atividades Lúdicas em Sala de Aula, Legislação Educacional; Uso do Livro Didático, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *