Thursday, 23rd November 2017
23 novembro 2017

Corridas de Revezamento

Revezamentos 4×100 metros – Masculino – A corrida de revezamento já era conhecida dos antigos gregos. Nas Panatenéias realizadas em homenagem à deusa Atena, incluía o programa de Atletismo uma prova de revezamento chamada “Lampadodromia” ou “Corrida das Tochas”. Era disputada por cinco equipes, compostas de quarenta atletas cada. A chama não podia apagar e o prêmio era concedido à equipe cuja tocha acendesse a fogueira colocada no Altar de Prometeu, localizado no marco da chegada.
Na era Moderna, a primeira corrida de revezamento de que há registro preciso, ocorreu em 17 de novembro de 1883, em Berkeley, Califórnia, Estados Unidos da América. Na Olimpíada de 1908, uma corrida de revezamento de 1.600 metros incluiu o programa atlético. As distâncias percorridas foram 800, 200, 200, 400 metros. Nunca mais foi disputado esse tipo de prova. Em 1912, nos Jogos de Estocolmo, os revezamentos de 4×100 e 4×400 metros fizeram sua estréia e passaram a incluir, definitivamente, a programação olímpica oficial.
Os revezamentos representam as únicas provas coletivas do Atletismo, modalidade esportiva eminentemente individual. A nível mundial, os Estados Unidos têm sido, ao longo dos tempos, reis e senhores dos dois revezamentos clássicos. O Brasil tem uma tradição recente no Revezamento 4x100m, com a medalha de bronze em Atlanta em 1996 e prata em Sydney em 2000; além disto, o quinto melhor resultado de todos os tempos é do Brasil entre dezenas de resultados somente dos Estados Unidos.
No Brasil, o primeiro recorde reconhecido para o 4x100m foi da equipe de São Paulo

Revezamentos 4×400 metros – Masculino – A corrida de revezamento já era conhecida dos antigos gregos. Nas Panatenéias realizadas em homenagem à deusa Atena, incluía o programa de Atletismo uma prova de revezamento chamada “Lampadodromia” ou “Corrida das Tochas”. Era disputada por cinco equipes, compostas de quarenta atletas cada. A chama não podia apagar e o prêmio era concedido à equipe cuja tocha acendesse a fogueira colocada no Altar de Prometeu, localizado no marco da chegada.
Na era Moderna, a primeira corrida de revezamento de que há registro preciso, ocorreu em 17 de novembro de 1883, em Berkeley, Califórnia, Estados Unidos da América. Na Olimpíada de 1908, uma corrida de revezamento de 1.600 metros incluiu o programa atlético. As distâncias percorridas foram 800, 200, 200, 400 metros. Nunca mais foi disputado esse tipo de prova. Em 1912, nos Jogos de Estocolmo, os revezamentos de 4×100 e 4×400 metros fizeram sua estréia e passaram a incluir, definitivamente, a programação olímpica oficial.
Os revezamentos representam as únicas provas coletivas do Atletismo, modalidade esportiva eminentemente individual. A nível mundial, os Estados Unidos têm sido, ao longo dos tempos, reis e senhores dos dois revezamentos clássicos. O Brasil tem uma tradição recente no Revezamento 4x100m, com a medalha de bronze em Atlanta em 1996 e prata em Sydney em 2000; além disto, o quinto melhor resultado de todos os tempos é do Brasil entre dezenas de resultados somente dos Estados Unidos.
No Brasil, o primeiro recorde reconhecido para o 4x100m foi da equipe de São Paulo, composta pelos atletas NARCISO COSTA – GERMANO MASCHOLD – ÁLVARO RIBEIRO – JOVINO FOZ, vencedores do I Campeonato Brasileiro em 1925, com o tempo de 43.2, e para o 4x400m foi da equipe de São Paulo, composta pelos atletas EDUARDO DE OLIVEIRA – GERMANO MASCHOLD – NARCISO COSTA – JOVINO FOZ, vencedores do I Campeonato Brasileiro em 1925, com o tempo de 3:30.0.

Revezamento 4 x 400 metros – Feminino – Prova de criação muito recente, tem como primeiro tempo 4.09.6, por uma equipe inglesa em 18 de setembro de 1954, em Ilford. E como primeiro recorde oficial a marca de 3.47.4, em Moscou, em 30 de maio de 1969, por uma equipe soviética.
Só foi introduzida nos Jogos Olímpicos em 1972.
No Brasil, o primeiro recorde reconhecido foi da equipe do Brasil, composta pelas atletas MARIA BERNARDETE DA SILVA, ROSANGELA MARIA VERÍSSIMO, CONCEIÇÃO APARECIDA GEREMIAS e SOLANGE LAZOSKI, no V Jogos Luso Brasileiros em Luanda, Angola, em 1972, com o tempo de 4.01.1.

FONTE: CBAt – Confederação Brasileira de Atletismo

RECORDES

MASCULINO

FEMININO

Mundial    
Olímpico    
Sul Americano    
Brasileiro    

 

VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL DO ATLETISMO

 

Professor (aposentado) na Rede Pública de Ensino do Distrito Federal. Especialista em Informática na Educação (UnB), Coordenação Pedagógica (UnB). Tem realizado diversas palestras em instituições pública e particulares com uma variedade de temas: Avaliação das Aprendizagens, Uso das TICs na Escola, Inteligências Múltiplas e o processo de Ensino e Aprendizagem, Atividades Lúdicas em Sala de Aula, Legislação Educacional; Uso do Livro Didático, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *